O que é Nutrição Funcional?

por | ago 24, 2020 | Alimentação Saudável

Você já ouviu falar em Nutrição Funcional? O tema é recente por aqui. Desenvolvido pelo médico Jeffrey Bland, nos Estados Unidos na década de 90, foi introduzido no Brasil apenas em meados de 2003.

Esse conceito estuda a fundo a relação entre a nossa saúde e o efeito provocado pelos alimentos que consumimos. Portanto, aqueles que além de nos nutrir, previnem ou auxiliam no tratamento das mais diversas patologias ou alterações precoces nas funções orgânicas que podem resultar em doenças crônicas.

A Nutrição Funcional ainda está interligada com todos os sistemas do nosso corpo, levando em consideração a individualidade bioquímica de cada pessoa.

Alimentos funcionais

Alimento funcional é aquele que comprovadamente contém propriedades que podem modular situações quando uma ingeridos de forma recorrente, com elementos importantes para a manutenção do bom funcionamento do nosso corpo e na prevenção de doenças

Portanto, devemos ter em nosso cardápio: frutas e legumes, verduras, cereais, leguminosos, peixes, carnes, ovos, sementes, temperos naturais, entre outros.

Atendimento personalizado visando o bem-estar do corpo

O grande diferencial da Nutrição Funcional em relação ao método tradicional é o acompanhamento individual personalizado que cada paciente recebe do nutricionista. Ele leva em consideração fatores não apenas físicos, mas também ambientais, como hábitos, rotinas, tipo de trabalho e saúde mental.

Em primeiro lugar, o nutricionista funcional aplica um questionário minucioso e extenso para conhecer o histórico de cada paciente, aliado à análise de sinais, sintomas clínicos de alterações nutricionais e resultados de exames bioquímicos específicos.

Ou seja, com essa avaliação em mãos, o profissional poderá prescrever um plano alimentar personalizado especialmente para você, rico em alimentos que irão promover o bom funcionamento do organismo como um todo.

Dessa forma, são corrigidas “falhas” que possam atrapalhar a prevenção ou tratamento de doenças, como: obesidade, câncer, diabetes, doenças autoimunes, doenças alérgicas, entre outras. Além de encontrar caminhos para uma alimentação balanceada, focada no corpo e mente.

Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), 80% dos problemas prematuros do coração, AVC (Acidente Vascular Cerebral) e Diabetes tipo II, além de 40% dos casos de câncer poderiam ser evitados se a pessoa tivesse uma alimentação saudável associada à pratica de alguma atividade física e eliminasse o tabaco, por exemplo.

Os cinco princípios básicos da Nutrição Funcional

1.         Individualidade bioquímica

De acordo com a Nutrição Funcional, cada paciente possui necessidades nutricionais exclusivas. Todas são baseadas em fatores genéticos e ambientais, tais como atividades físicas, hábitos alimentares, estresse, ansiedade, entre outros. Portanto, podem ser determinantes para a prevenção ou aparecimento de doenças.

“Assim, cada indivíduo apresenta uma necessidade ou deficiência nutricional específica, que podem ser determinadas pela avaliação de sinais e sintomas que o mesmo apresenta ou pelo meio ambiente ao qual está exposto.” (Artigo Nutrição Funcional: Princípios e Aplicação na Prática Clínica)

2.         Tratamento centrado no paciente

Nesse tipo de nutrição, o foco está no paciente e não na doença, já que ela é considerada uma inter-relação entre os sistemas orgânicos e a influência dos fatores ambientais, emocionais, alimentares, patológicas, uso de medicamentos, hábitos de vida e prática de exercício físico.

3.         Equilíbrio nutricional e biodisponibilidade de nutrientes

Não basta consumir alimentos saudáveis. É essencial que a oferta de vitaminas, minerais, proteínas, carboidratos e gorduras em nosso organismo seja em quantidade e proporção adequadas. Assim, ocorrerá a otimização da sua absorção e aproveitamento pelas células do corpo.

“Uma vez que os diversos nutrientes agem em sinergia no organismo, faz-se necessário pensar desde a origem do alimento e sua forma de preparo até as condições absortivas e/ou patológicas apresentadas pelo paciente, tendo sempre em mente a necessidade nutricional individual.” (Artigo Nutrição clínica funcional: uma visão integrativa do paciente)

4.         Inter-relações em teia de fatores fisiológicos

Nosso organismo é um só. Partindo desse princípio, a Nutrição Funcional usa a teia de fatores fisiológicos para identificar pontos positivos e negativos do paciente. Sendo assim, ela vai direcionar a melhor conduta nutricional para tratar a causa, ao invés de apenas os sintomas, seguindo alguns pilares essenciais, como saúde mental e crenças espirituais.

5.         Saúde como vitalidade positiva

Segundo a OMS, ser saudável não é estar sem doença, mas sim ter o perfeito funcionamento do organismo. Isso significa que o corpo precisa estar bem de forma física, mental e social. Para isso, é preciso equilibrar de maneira positiva o organismo e suas funções com ajuda da Nutrição Funcional.

Ao ser avaliado(a) por uma especialista, você receberá acompanhamento periódico com orientações, dietas, cardápios, receitas e sugestões de hábitos para um estilo de vida mais harmonioso. Isso irá suprir suas necessidades nutricionais frente a uma patologia, além de melhorar a qualidade na alimentação, o bem-estar e a autoestima.

Se você quer saber mais sobre a Nutrição Funcional e entender melhor quais benefícios ela oferece para o corpo e mente, comente aqui. Caso queira agendar sua avaliação, entre em contato!

Share This